Recentemente foram divulgadas imagens de um novo photoshoot da Claire para a COVETEUR e juntamente com as imagens uma entrevista foi compartilhada no site, confira a seguir a entrevista traduzida:

Em 47 Meters Down Claire Holt está em ambas situações!

Na primeira vez que eu dei play no trailer de 47 Metes Down tenho que admitir que não tive ideia que era sobre tubarões. Eu discretamente dei uma olhada na descrição do filme, mais animada para ver Claire Holt – de The Originals e The Vampire Diaries – estrelando em alguma coisa ao lado de Mandy Moore. Poucos segundos depois eu percebi que o filme, no qual o cenário na maior parte do tempo é debaixo da água (47 metros de profundidade, como diz o título), me daria pesadelos.

E eu iria definitivamente assisti-lo.

Mas Claire me fez pensar enquanto conversávamos sobre a situação assustadora de sua personagem. O que é pior, sério: enfrentar um grupo de tubarões? Ou competir contra o relógio enquanto seu oxigênio esta acabando? A sua personagem, infelizmente, está enfrentando ambas situações. Primeiramente, Claire mostra como é atuar debaixo da água (por oito semanas inteiras!), seu favorito filme assustadoramente realístico, e por que ela, diferente de muitas pessoas, não pratica binge-watching (expressão usada para descrever o hábito de assistir a vários episódios seguidos — ou até a temporada inteira — de uma série de TV).

O que fez ser tão atrativo em ser parte desse filme?

“Eu estava realmente hipnotizada pelo script. Eu sabia o quão cansativo fisicamente e emocionalmente seria, mas o filme foi um daqueles projetos que você entra e as coisas veem até você. Eu acho que eu subestimei o quão difícil as cenas seriam – eu não tenho experiência com mergulho, mas uma vez que (Mandy Moore e eu) chegamos lá e começamos a filmar e passamos pela primeira semana – a qual foi bem rigorosa e quase impossível – nós começamos a nos acostumar com isso e nos tornamos bem conectadas quando estávamos debaixo da água.”

Você teve algum momento verdadeiro de pânico?

“Com certeza! Não estávamos á 47 metros de profundidade, mas estávamos a 6 metros. Houve momentos em que Mandy e eu estávamos sentadas e percebíamos a gravidade da situação e o quão perigoso isso podia ser. Felizmente, tivemos mergulhadores incrivelmente seguros em volta de nós e uma equipe médica. Mergulhar é um exercício muito perigoso. Acredito que a menos que você seja muito cuidadoso, isso pode dar errado.”

Você tem medo de tubarões na vida real? 

“Eles são curiosamente meu medo número um, o que provavelmente foi o motivo de eu ter me atraído tanto pelo script. Eu pude me relacionar com o que aquelas garotas estavam sentindo, mas o que eu percebi depois de fato foi a ideia de estar presa no fundo do oceano com uma hora de oxigênio restante enquanto o tempo passava e sem outro lugar para ir, isso é mais aterrorizante.”

Foi uma experiência de atuação totalmente diferente?

“Nós estávamos com máscaras cobrindo quase todo nosso rosto. Nós tivemos que fazer a maior parte da atuação com nossos olhos e também não sabíamos como tudo seria lido por debaixo da água e através do vidro. Foi uma experiência de aprendizado, e Mandy e eu realmente confiamos uma na outra para passar por isso e dar uma para a outra elogios ou críticas construtivas – o que fosse necessário no momento.”

Você tem um filme de terror favorito?

“Tem um filme chamado Open Water (Mar Aberto) que é sobre dois mergulhadores que ambos foram deixados para trás pelo barco em uma água infestada por tubarões. Eu amei aquele filme. Eu senti como se esse (47 Meters Down) fosse o oposto desse, mas tem a mesma linha de tensão a qual eu realmente senti.”

Você é uma grande binge watcher?

“Na verdade eu não maratono com tanta frequência pois eu tenho realmente pouco tempo, mas eu realmente admiro pessoas que conseguem sentar e assistir uma temporada inteira de uma série. Isso é impressionante.”

Confira o photoshoot divulgado:

CONVETEUR

6~2.jpg 5~3.jpg 4~4.jpg 1~4.jpg

Facebook

Twitter

Instagram


Fonte | Adaptação: Eduarda Oliveira

Nunca reproduzir sem os créditos!

Deixe seu comentário

Este artigo não possui comentários