O Hollywood Life publicou um artigo sobre a parceria do Joblon durante a época do aborto da Claire, confira traduzida a seguir:

Nove meses depois de seu aborto “devastador”, Claire Holt quer manter a conversa sobre a infertilidade. Ela conversou com HL EXCLUSIVAMENTE sobre a jornada difícil da mulher e do marido até a concepção.

Claire Holt, 30, e seu marido, Andrew Joblon, 35 anos, estão esperando um menino, mas a estrada que leva a essa notícia excitante não foi fácil. De fato, o casal, que se casou em agosto, sofreu um trágico aborto alguns meses antes de seu casamento. Claire recebeu inúmeras mensagens de apoio nas mídias sociais depois de revelar as notícias “devastadoras” para seus seguidores, mas ela também tinha muito apoio em casa. “O Andrew foi tão incrível em me dar um ombro para chorar e me permitir compartilhar como eu me sentia”, revelou a mãe ao HollywoodLife.com EXCLUSIVAMENTE. “Ele não estava me incentivando a levantar minha cabeça e caminhar para frente. Ele validou meus sentimentos e estava bem ali comigo.”

Além disso, Andrew também voltou do trabalho com histórias para sua esposa sobre outras famílias que tinham passado pela mesma coisa. “Isso me ajudou a lamentar e sentir como se eu não estivesse sozinha e dentro de uma comunidade maior”, disse ela. “Eu não estava isolada”. Essa “cura coletiva” é exatamente o que a Claire espera realizar por meio de sua parceria com a Ava, uma empresa de tecnologia médica voltada para a saúde reprodutiva das mulheres. Celebridades como Jana Kramer, de 35 anos, usaram sua pulseira Fertility Tracker para conceber depois de abortos espontâneos – e Claire espera que sua parceria com elas lance mais diálogos sobre a infertilidade, porque não se falava sobre isso quando ela estava crescendo.

“Não há muita conversa sobre o quão difícil pode ser conceber”, admitiu Claire. “Eu estava em controle de natalidade a partir dos 16 anos e pensei em sair dela e engravidar.” Embora ela se lembre de terem dito que 35 era o número mágico e que as mulheres estavam ótima nessa idade, desde que engravidassem antes, esse não foi o caso da atriz. “Pode ser difícil para duas pessoas saudáveis, quanto mais para pessoas que sofrem de complicações.”

 

 

 

 

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 

 

 

 

 

 

 
 

 

 
 

 

 

 

 

 

I took this photo 10 days ago, as I waited for surgery after my sweet little baby lost its heartbeat. I sent it to my fiancé in the waiting room to show him that I was ok. I wasn’t. I’ve never felt more broken in my life. I debated sharing this so soon and I’m still frightened about making such a private struggle public, but I’m doing it anyway because it’s important. After my D & C, I spent hours on the internet searching for women who had been through it. I was desperate to find someone, anyone, who could relate to what I was feeling. Someone to tell me that the depression and hopelessness were normal. That it wasn’t my fault. That I wasn’t broken forever. I found a community of women who shared my exact experience. Who were open and vulnerable about miscarriage, something that isn’t often or openly discussed. It breaks my heart to think that losing a baby feels like something we have to keep to ourselves. Why is it any different than the death of a loved one? How is it any less meaningful? Here is what I have learned as I begin to crawl out of the dark hole: support is everything. I could not have survived this without the unconditional love of my partner. Despite his pain, he was my rock and my safety net. I will never know how to thank him. I also found that opening up to people is crucial. As soon as I told my story, almost everyone I spoke to told me theirs – their own, their wife’s, their sister’s. So many people go through it and understand the breadth of pain, yet so few people talk about it. Finally, I want to share a blog post that resonated with every part of me. You can find the link in my bio, @leandramcohen of @manrepeller articulates the emotional rollercoaster with an eloquence that I could never possess. To anyone out there who has been through a miscarriage, I understand you. I share every bit of your pain and you are not alone. Please be kind to yourself and I hope that you will be comfortable sharing your story too.

 

Uma publicação compartilhada por Claire Holt (@claireholt) em

Depois de tudo o que ela passou em sua jornada para a maternidade, é incrível ver Claire provocando conversas honestas sobre infertilidade – e vê-la andando com uma bela barriga de bebê! Ela e Andrew anunciaram que esperavam um bebê em outubro e não poderiam ficar mais animados com o bebê. “Eu não posso esperar para sufocá-lo com beijos”, disse ela. Em seu anúncio no Instagram, que Claire esperava que outras mulheres “esperassem”, ela admitiu que seu aborto a fez “infinitamente mais grata” pelo bebê em sua barriga.


Na verdade, ela não levaria a dolorosa experiência de volta! “Foi devastador e comovente e algo que eu nunca me vi enfrentando”, ela disse, “mas me ensinou sobre mim e as outras pessoas e o que precisamos fazer como mulheres”.


Claramente, essa estrela de Vampire Diaries será uma mãe incrível. Nós não conseguimos para dar parabéns!

Facebook

Twitter

Instagram


Fonte | Adaptação: Eduarda Oliveira

Nunca reproduzir sem os créditos!

Deixe seu comentário

Este artigo não possui comentários